Movimento indígena pressiona Funai para demarcar TI no Tapajós

Autodemarcação no Tapajós - www.autodemarcacaonotapajos.wordpress.com.br - 18/08/2015
Movimento Índigena do Baixo e médio Tapajós tem semana intensa de reivindicao indigena em favor de seus direitos e pressionam a Funai, mantendo dois servidores em centro indigenista em Santarém, Oeste do Pará até que suas reinvidicações sejam discutidas.

O Movimento Indigena do Baixo rio Tapajós que depois de cinco longos dias de mobilização, que começaram na manhã de quinta-feira (13) com a ocupação da sede do ICMBio em Santarém, protestavam contra o projeto de venda de carbono na área, que afetaria as aldeias indígenas da reserva extrativista- RESEX Tapajós-Arapiuns. Conseguiram, após intensas negociações, a suspensão do Projeto Demonstrativo de Carbono.

Porém há ainda uma extensa lista de reivindicações, como a finalização das demarcações das Terras Índigena Sawre Muybu- do povo Munduruku e Terra Índigena Cobra Grande que é construída de três povos: Arapiun, Tapajo e Jaraki. Desde ontem (15), no encerramento da 1ª Conferência Regional Indigenista, de forma pacífica e garantido a segunça e integridade física, o Movimento Indígena do Baixo Tapajós, com apoio dos Munduruku do médio Tapajós, mantém dois servidores da FUNAI no Centro Indígena Maíra em Santarém, até que a pauta de reinvidicações seja atendida.

Nesse momento os indígenas negociam por Telefone com João Pedro Gonçalves da Costa, presidente da Fundação Nacional do Índio, a FUNAI, a Mobilizaçao indigena continua.

https://autodemarcacaonotapajos.wordpress.com/2015/08/18/movimento-indigena-pressiona-funai-para-demarcar-ti-no-tapajos/
PIB:Tapajós/Madeira

Related Protected Areas:

  • UC Tapajós-Arapiuns
  • TI Sawré Muybu (Pimental)
  • TI Cobra Grande
  •  

    As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.