Povos indígenas se mobilizam por saúde, educação e demarcação de terras em Barcelos - AM

Cimi - http://www.cimi.org.br/ - 02/07/2009
Mais de 350 indígenas estão reunidos na cidade desde o dia 01 de julho em Barcelos - 360 Km de Manaus - para a I Mobilização Geral dos Povos Indígenas do Médio e Baixo Rio Negro. A manifestação é promovida pela Associação Indígena de Barcelos (Asiba). O objetivo dos participantes é buscar reconhecimento junto ao poder público para resolver vários problemas nas áreas de saúde, educação, além da busca por demarcação das terras indígenas.

De acordo com Maria Aparecida Duque, liderança Tukano e uma das coordenadoras da Mobilização, o primeiro passo é que as autoridades os reconheçam como indígenas. "É preciso que eles enxerguem os indígenas aqui, criem alguma lei de valorização da nossa cultura ou algo assim, porque para eles, nós não existimos", afirma Maria.

Em relação à demarcação de terras, Maria ressalta que está tudo parado. "Não conseguimos demarcar a nossa terra aqui. Quando houve o estudo para a identificação, ele não foi feito da forma correta e aqui estamos até hoje esperando por isso", diz. Os indígenas do Médio e Baixo Rio Negro reclamam do incômodo causado pela presença em suas terras de pescadores comerciais, caçadores, turismo de pesca e esportiva, além dos serradores de madeira que tem aumentado consideravelmente.

A saúde, outro ponto grave discutindo nas reuniões, está péssima. "Não funciona nada aqui. Não há um lugar específico que trate da saúde indígena aqui. Não há remédios e não há prestação de contas do dinheiro direcionado á saúde que vem para nós", revela a liderança. Maria afirma que os indígenas também não podem culpar os agentes de saúde, porque eles também não têm condições de trabalhar ali. Para a educação, as comunidades se manifestam para que seja construída uma escola com ensino diferenciado para os indígenas. Segundo as últimas informações do Ministério da Educação, foi assinado um projeto de implantação da escola no Rio Negro. Agora os indígenas aguardam as obras.

Os participantes da mobilização estão reunidos na escola São Francisco e as movimentações continuam até amanhã, quando os indígenas farão uma caminhada pelas ruas da cidade e entregarão uma carta com as reivindicações dos povos na prefeitura.

Estão presentes os representantes de 25 povos e 26 comunidades, entre eles Tukano, Tariano, Tuyuca. \"Nossa meta é fortalecer as organizações indígenas e, dessa forma, assegurarmos os direitos de nossas comunidades\", disse Maria Aparecida.

(Com informações de J. Rosha - Cimi Regional Norte1)
PIB:Noroeste Amazônico

Áreas Protegidas Relacionadas

  • TI Médio Rio Negro I
  • TI Médio Rio Negro II
  • TI Aracá-Padauiri (Baixo Rio Negro)
  •  

    As notícias publicadas neste site são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.